Quinta-feira, 20 de Novembro de 2008

#2.12 - The Secret Life

           Mickey Mouse, a agradável e simpática personagem da Disney, fez este dia 18 de Novembro 80 anos de idade. Sempre foi o centro de atenções da companhia e alegrou com brincadeiras os seus milhões de fãs. Tem uma estrela na passadeira de Hollywood e centenas de filmes no Currículo. A vida profissional de Mickey Mouse toda a gente conhece e adora. A vida privada e obscura é secreta e repleta de podridão. Nos próximos parágrafos fique a conhecer os bastidores da vida irreverente deste ícone universal.

            Corria o ano de 1928 quando Walt Disney foi jantar fora num domingo. Não havia nada de jeito na televisão e até tinha uns trocos na carteira. Numa tasca perto da sua casa pediu um bitoque e uma imperial quando a sua vida mudou para sempre. Na parede à sua frente uma figura preta escondia um pedaço de rissol, a entrada tipo do estabelecimento. Era um rato maior do que o costume e tinha uns calções vermelhos esfarrapados com um botão amarelo. Foi amor à primeira vista.

            Entre promessas de um futuro brilhante e uma carreira de sucesso, Mickey Mouse foi morar com Walt Disney, onde se supõe que tenha sido abusado sexualmente durante anos, embora isto nunca tenha sido confirmado pelo próprio. A primeira colaboração de ambos foi a uma curta-metragem chamada “Steamboat Willie”, apesar de vários vídeos caseiros da vida privada de ambos terem sido mais tarde descobertos e destruídos. Neste primeiro filme Mickey mostrou que era à frente das câmaras que se sentia verdadeiramente bem, confortável, e consequentemente quanto mais filmava, pior se portava atrás das câmaras. As produções e o sucesso cresciam e com isso a pressão sobre este pequeno rato.

            A actriz conhecida pela sua personagem “Minnie” disse anos mais tarde, antes de morrer num lar na Califórnia com tuberculose, que “trabalhar com Mickey era um tormento sem palavras para descrever”. Diversas vezes foi ao seu camarim para se insinuar sem calções, tendo a produção de “Fantasia”, a colaboração Disney/Mickey mais rentável da história, ter sido mesmo desfalcada da actriz por incompatibilidade entre os dois. Nos anos 80 esta disputa chegou mesmo a tribunal. Minnie conseguiu que Mickey não se aproxima-se de si a menos de 500 metros, apesar deste continuar a cantar bêbado à sua janela a música “Smack My Bitch Up”, até à data da morte da actriz.

            As restantes relações de trabalho de Mickey não era melhores. Apesar do crescente sucesso dos seus filmes, Disney contratou mais actores para contracenarem com Mickey. Pato Donald, Tio Patinhas e Pateta entre outros foram chamados para próximas produções o que irritou Mickey ao ponto de ter partido um queijo na testa de Walt durante um cocktail. Ao início recusara-se a trabalhar com eles mas depois foi calmamente aceitando o facto, apesar de nunca ter deixado de praticar “partidas de mau gosto” a cada um deles, durante filmagens. Pateta teve de ser hospitalizado em 1956 depois de engolir pregos numa sandes do catering e vários montes de fezes de Pluto foram retiradas dos montes de moedas de Tio Patinhas, estragando-se takes atrás de takes de película.

            Quanto mais tempo passava, pior era a postura de Mickey nos filmes. Começava a ser impossível disfarçar as constantes bebedeiras do rato mais famoso do mundo nos sets de filmagem. Com o tempo começaram a usar-se duplos nas rodagens o que dava mais tempo livre a Mickey para sair à noite em Las Vegas, a sua cidade de predilecção. Milionário e com a agenda desocupada, uma noite levou Mickey ao incidente mediático mais polémico e triste da sua vida. Por volta das 4 da manhã do dia 10 de Novembro de 1969, na discoteca da moda de Las Vegas, festejava-se a excelente estreia do Programa “Rua Sésamo” nas televisões Americanas. Drogado e bastante alcoolizado, Mickey entrou nesta festa sem ser visto e espalhou o caos. Tentou violar o Monstro das Bolachas na casa de banho das mulheres do estabelecimento e quando foi descoberto iniciou uma cena de pancadaria com Poupas, gritando “Eu é que sou o ídolo das crianças, não são vocês, seus cabrões alegres!”.

            Desde esse dia a carreira de Mickey continua em ascensão, mas o actor já pouco é utilizado nas gravações dos seus trabalhos. Duplos semelhantes e as novas tecnologias permitem esconder a verdade sobre esta maravilhosa personagem do nosso imaginário. Não se sabe do seu paradeiro, apesar abrir discotecas um pouco por toda a parte e ter tentado candidatar-se a presidente dos EUA sem sucesso. Para sempre ficará na nossa memória como o mágico de “Fantasia” ou o agradável e sorridente dono de Pluto e seus amigos. A sua vida conturbada em nada conseguirá desfazer o nosso amor e carinho por si. Walt Disney terá mesmo dito “Amo o Rato Mickey mais do que qualquer mulher que já conheci”. Aparte da notória tensão amorosa e sexual da frase, podemos todos irrefutavelmente concordar com ele.

 

Sempre pronto para defender a verdade dos factos,

Guilherme Fonseca                    

tags:
publicado por Guilherme Fonseca às 01:54
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De tracey a 24 de Novembro de 2008 às 16:49
Epa...devo dizer que esta foi a tua crónica que mais me fez rir!!! Estragaste a minha boa imagem do Mickey e desfalcaste a minha infância, mas isso são pormenores


De tracey a 24 de Novembro de 2008 às 16:51
isto de escrever à pressa...não era desfalque que eu queria dizer. destruiste as minhas boas memórias de infância, pronto...


De Pai a 24 de Novembro de 2008 às 20:39
Sim Senhor...
Passei eu uns 300 anos da minha infância a ler livros do Rato Mickey, e dos seus amigos todos, e de repente descubro que o animal é mais perdido que a Winehouse e nem passou perto de nenhuma rehab. Raisparta o rato ! Andava sempre só de calções largueirões, enquanto o pato amigo dele andava sempre só de camisola e boné... A rata é que tinha razão, aquilo era um mundo estranho, só tinham "sobrinhos" lá em casa, e logo em grupos de três de preferência, mas as namoradas moravam longe... ninguém era casado e tudo tinha parentes próximos mas nunca directos....
Enfim, nada é o que parece, o Homem-Morcego vive com um Pardalito (Robin em língua de bife...) e o Grande Apresentador de Concursos está quase a ouvir a pena que merece por ser pedófilo...
É isto que nos mostram na infância ? São os exemplos com que crescemos ?

Ao menos na infância dos meus filhos, os heróis eram automóveis/aviões/camiões que se transformavam em guerreiros, e em super guerreiros quando faziam moshe, ou 4 tartarugas ninja que afinal eram pintores clássicos italianos.
Enfim... Vivam os "Sá Morais" africanos das novas anime...


Comentar post

.O Autor

Todas as Quintas o humorista Guilherme Fonseca publica um novo texto!

.textos recentes

. #2.42 - Ponto final. Pará...

. #2.41 - abstenho-me

. #2.40 - game on!

. #2.39 - let's talk about ...

. #2.38 - a angústia dos ch...

. #2.37 - grandes porcos

. #2.36 - análises aos exam...

. #2.35 - orgulhosamente ac...

. #2.34 - primeiro dia

. #2.33 - treme treme

.arquivos

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

.links

.leituras

Contador de visitas